APOSTILA BOMBOM TRUFADO
APOSTILA OVO DE PÁSCOA TRUFADO
FESTIVAL DE BRIGADEIROS



Receita do João

Se tem uma coisa que mexe com a gente são as lembranças da infância.

Das brincadeiras que hoje as nossas crianças achariam bobas, como os meninos pular carniça e as meninas fazerem roda pularem corda e cantarem , ou então jogar bolinha de gude, pião, taco....
Mas o que eu mais sinto falta é das brincadeiras na rua, de pega-pega, esconde esconte, ladrão e polícia, ou então qdo começava a surgir o interesse pelo sexo oposto brincávamos de beijo, abraço ou aperto de mão.....

Hoje eu infelizmente noto que não há mais a inocência que havia nos meus tempos de criança, não há o respeito pelos mais velhos, os horários são as crianças que querem determinar.

Quando a molecada estrapolava, fazia muita algazarra, ou então o ruído dos carrinhso de rolemã começava a incomodar, aparecia aquele vizinho chato e ameaçava de chamar o juizado e gente morria de medo, ou então contava pros nossos pais que a gente estava aprontando e tome-lhe bronca ( na melhor situação, senão dá-lhe havaianas!).

Na escola a gente brincava, ria muito e o professor era um mestre, era respeitado.
Nós tínhamos que cantar o Hino Nacional todos os dias, e saber de cor o da Bandeira, o da Independência....
Valores que foram perdidos com o tempo...
Hoje, é vergonhoso ver como as pessoas não sabem nem o Hino Nacional, muito menos as datas cívicas, que no meu tempo de criança rendia muitos trabalhos escolares, mapas e exposições..,
Hoje é tudo substituído por video game, computador e televisores, e esse último, quem não tiver um de LCD está fora de moda...
Lembro que assistía o Fantomas, o Ultra Seven e o Rin Tin Tin numa tv Telefunken preto e branco, e volta e meia aparecia lá em casa um plástico colorido com várias cores para se colar na tela e dar a sensação de que a TV era em cores...
Mas era bom, e como sinto falta disso, de deitar na laje junto com meus irmãos e minha mãe e ficarmos olhando as nuvens e imaginando bichinhos nelas, de tomar banho de mangueira ou de chuva no quintal de cerâmica, de ajudar minha mãe a cozinhar , de ouvir meu pai contando as piadas dele ou então ouvindo suas músicas alemãs....
Lembro do quintal do Jorge, que tinha lá várias árvores que davam frutas, ameixas, limões, pitanga e amoras, essa a preferida da molecada, que na época de amora saia de lá de cima da árvore todo roxo, com as roupas todas manchadas de amora e mesmo assim as mães não brigavam por causa disso....

Mas a gente precisa crescer está escrito em 1 Corintios, 13:11
"Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino, mas, logo que cheguei a ser home , deixei as coisas de menino."

Pena que pela vida que nos submetoemos a levar, e as condições que o mundo oferece hoje aos nossos pequenos, a gente não pode dar uma infança tão rica como a nossa.
Hoje vemos a maldade solta, e ganhando proporções jamais imaginadas, e realmente não dá pra deixar as crianças soltas como nós fomos criados, só nos resta Pedir a Deus proteção, e discernimento para que saibamos escolher nossos governantes, e assim quem sabe os meus e os seus netos, terão um pouco de liberade para andar nas ruas e ter a certeza de que a impunidade não impera e favorece os maus.

Esse pão eu fiz aproveitando as amoras que dão no quintal de minha sogra, e ficou muito bom!

Ingredientes

1 kg de Farinha de trigo
2 ovos
2 colheres de fermento biológico seco
1 colher de melhorador ( opcional)
200 ml de óleo de girassol
7 colheres de sopa bem cheias de açúcar
1 colher de sopa rasa de sal
4 xícaras de amora madura ( duas para a massa e duas para o recheio )
açúcar Cristal ( para o recheio)
aprox. 300 ml de água morna

Preparo

Misture a tudo ( reserve duas xícaras de amora e o açúcar Cristal) e sove bem a massa ( se vc tiver máquina de fazer pão, pode tentar colocar tudo nela, a minha é britânia e aguenta.. mas se vc achar que a sua não aguenta diminua os ingredientes.

Deixe crescer até dobrar de volume, despeje a mass numa mesa enfarinhada e abra com as mãos meso a massa, não é necessário ficar fininha, abra de maneira grosseira mesmo, coloque as amoras reservadas e polvilhe açúcar cristal ( umas 3 colheres ), feche o pão dê uma leve enrolada e coloque em forma untada, pincele com gema e leve ao forno médio até crescer, e depois aumente a chama para alta , deixe corar e depois pode decorar com foundant ou açúcar de confeiteiro.

0 -->CLIQUE AQUI PARA DEIXAR MENSAGEM<--:

Postar um comentário

Preencha seu comentário:

Postagens populares

Postagens populares

 
Top